Rua Otávio Tarquino, nº 59 – salas 202/204 Centro – Nova Iguaçu/RJ
Seg - Sex : 09:00 - 17:00

Política de home office: porque ter uma em sua empresa

Política de home office: porque ter uma em sua empresa

Em razão da medida de isolamento social decretada pelo Governo Federal como forma de achatar a curva de transmissão pelo coronavírus, muitas empresas tiveram que adotar o trabalho remoto, para não paralisar totalmente suas atividades. 

O que acontece é que mesmo que o formato de trabalho já seja utilizada por muitas empresas, grande parte não estava preparada para adotar o formato home office em seus processos. 

O formato é a alternativa mais viável – e segura – neste momento, para que as empresas continuem operando algumas funções administrativas normalmente. Assim, é possível manter a produtividade e até mesmo reduzir custos

Contudo, para que as empresas adotem o home office de maneira eficiente, é necessário planejamento e uma política de home office clara, o que não foi possível em muitos casos, por ter sido uma medida emergencial. 

Regulamentação do teletrabalho 

Antes de falar especificamente sobre a importância de ter uma política de home office, é válido saber quais são as especificações e exigências para regulamentar o teletrabalho na empresa. 

O teletrabalho foi introduzido nas leis brasileiras a partir da Reforma Trabalhista de 2017 e está especificado na Lei 13.467/17. Essa forma de atuação pode ser definida como um trabalho realizado fora da empresa através do uso da tecnologia. 

O comparecimento eventual do empregado na empresa para realizar alguma atividade específica, não desconfigura o teletrabalho.

Todos o empregado que atua em home office tem seus direitos trabalhistas garantidos, na mesma proporção que os trabalhadores presenciais. 

A CLT contém algumas exigências para o teletrabalho, entre elas:

  • O teletrabalho deverá constar expressamente do contrato individual de trabalho, no qual serão especificadas as atividades que devem ser realizadas pelo empregado. 
  • Se o contrato já estiver em curso, como é caso da grande maioria dos funcionários que tiveram que trabalhar remotamente por conta da Covid-19, a Medida Provisória 927 permitiu que a empresa, durante o estado de calamidade, possa colocar o colaborador em teletrabalho, independente de seu consentimento, desde que avise com 48 horas de antecedência, bem como que formalize um aditivo contratual em até 30 dias.
  • Cabe à empresa identificar quais os setores podem exercer suas atividades à distância, sem comprometer a eficiência do trabalho. 
  • É responsabilidade do empregador fornecer os equipamentos e ferramentas para a prestação do trabalho remoto.
  • O trabalhador que atua em home office não tem direito a pagamento de horas extras e adicional noturno, tendo em vista a dificuldade de controle da jornada. Mas caso caso o empregado esteja sujeito algum tipo de controle de jornada pode haver o entendimento, por parte da justiça, que será possível o pagamento desses direitos trabalhistas.

Porque ter uma política de home office nas empresas 

A falta de preparo das empresas para lidar com o home office trouxe diversas preocupações para empresários e gestores. 

Ter uma política de home office é importante para que a empresa estabeleça um relacionamento direto com seus colaboradores e todos estejam cientes sobre suas obrigações durante o período necessário desse formato de trabalho. 

Esse documento é essencial para que a empresa informe aos funcionários como o trabalho deve ser executado. É importante que todas as informações contidas neste material sejam especificadas de forma clara e objetiva facilitando o entendimento. 

Algumas regras básicas, que devem constar na política de home office da empresa são: 

Monitoramento do trabalho

É fundamental que a empresa comunique aos funcionários como será feito o monitoramento do trabalho, a fim de evitar perda na qualidade da função desempenhada. 

Algumas empresas, por exemplo, estão monitorando o trabalho de acordo com produção e entrega. Ou seja, não exigem que os funcionários estejam disponíveis durante X horas ao dia, basta que o funcionário cumpra sua demanda diária executando todas as suas atividades.  

Porém, alguns negócios não conseguem se adaptar a essa maneira de monitoramento e pode implementar outra forma de fazer isso. O ideal é que cada gestor crie uma rotina específica de acompanhamento de seus funcionários verificando semanalmente o comprometimento de cada um.  

Sigilo profissional

É fundamental reforçar a importância do sigilo de informações da empresa, mesmo trabalhando a distância.  Relembrar que a empresa e os clientes devem ser preservados nunca é demais! 

Prevenção contra acidentes de trabalho

Não é porque os trabalhadores estão em casa que não possam sofrer acidentes de trabalho. Muito pelo contrário, os colaboradores quando costumam se sentir mais à vontade acabam relaxando ao tomar atitudes preventivas. 

Um exemplo clássico: a postura adequada ao sentar-se à cadeira. 

A responsabilidade por orientar de modo expresso sobre cumprimento de regras de segurança do trabalho continuam sendo do empregador e por isso a política de home office deve prever de modo ostensivo recomendações nesse sentido . 

Segurança da informação

Talvez essa seja um dos pontos mais importantes em um uma política de home office. Os funcionários devem estar cientes que embora estejam trabalhando de suas casas é preciso continuar mantendo a segurança das informações

É importante que alterem senhas, utilizem antivírus e tenham cuidado com o conteúdo acessado. Assim, será possível ter mais segurança com as informações da empresa impedindo que pessoas não autorizadas tenham acesso aos dados. 

Pensando em facilitar a vida de gestores e empresários, nosso escritório desenvolveu um Modelo de Política de Home Office que pode ser utilizado em sua empresa. 

Basta clicar aqui para receber nosso conteúdo exclusivo. 

Como elaborar um código de conduta empresarial Coronavírus: a Covid-19 é doença ocupacional?