Rua Otávio Tarquino, nº 59 – salas 202/204 Centro – Nova Iguaçu/RJ
Seg - Sex : 09:00 - 17:00

Compliance nas Empresas

Compliance nas Empresas

Muitos empresários vêm me perguntando o que é esse tal de Compliance nas empresas, termo cada vez mais em voga em discussões de negócios. 

Podemos facilitar o entendimento de compliance nas empresas chamando de “boas práticas modernas de administração”. Essas boas práticas garantem que tanto a empresa como seus parceiros e colaboradores estejam de acordo com a lei.


LEIA TAMBÉM: WhatsApp no trabalho: como usar sem riscos trabalhistas?


E, estando de acordo com a lei, todos ficam precavidos contra ações judiciais dos mais variados tipos: acusações de racismo, negligência operacional, vazamento de dados e muito mais.

Além disso, a empresa se qualifica para um crescimento de resultados, assim como para angariar e reter talentos, visto que, no momento em que se propõe a ter compliance, é sinal que está tomando ações que beneficiam seu ambiente, seus processos e suas rotinas.

Os Pilares do Compliance nas Empresas

Não existe um modelo pronto de compliance que se adapte a qualquer tipo de empresa. Mas há, de forma consolidada, alguns pilares que regem a sua implantação dentro de uma organização. São eles:

  1. Canal de denúncia para inconformidades como, por exemplo, racismo, bullying, roubo e importunação sexual.
  2. Treinamento para que os colaboradores sejam capacitados para exercer suas funções e que não coloquem ativos da empresa em risco, nem sua própria saúde.
  3. Criação de políticas e código de conduta para deixar claro o que a empresa considera correto, o que tolera e o que é intolerável ao seu ver.

Problemas de não haver Compliance nas Empresas

E a pergunta que todos fazem: será que minha empresa precisa de um programa de compliance?

A resposta é simples: se você quer colocar sua empresa em um patamar superior, você precisa dele com certeza. Acha caro ter compliance? Experimente não tê-lo.

Muitos até pensam, talvez pelo termo ser em inglês, que se trata de uma necessidade apenas para organizações internacionais.

Mas, como já explicamos, compliance é uma prática de boa administração da empresa. Envolve cuidados com as áreas de departamento pessoal, financeiro, vendas… Na verdade, em qualquer ação na sua empresa poderia ser aplicado o compliance.

O maior objetivo é tornar a empresa em conforme com as leis. Mas não são apenas com as leis dos tribunais. São também as leis da boa convivência entre colaboradores, leis que regem a boa relação com seus parceiros e clientes, dentre outras.

Ou seja, compliance nas empresas serve para qualquer para aquelas que estão interessadas em se aproximar da perfeição e prevenir problemas futuros. Sejam elas pequenas, médias ou grandes.

E mesmo que o foco não seja nos tribunais, o compliance nas empresas acaba ajudando o empresário em certas situações. Por exemplo, pode fazer parte do compliance da empresa não permitir que gestores falem com sua equipe após o expediente de trabalho. Caso isso ocorra, o colaborador então importunado é orientado a informar o caso à diretoria, a qual deve ter um processo padrão para essa situação.


LEIA TAMBÉM: Assédio sexual no trabalho


Comportamento ético nas empresas

Compliance nas empresas e as responsabilidades

Promover o comportamento ético é um dever dos empresários, pois assim se garante que os colaboradores não estejam praticando ou sofrendo algum tipo de distúrbio durante as horas de trabalho.

E você empreendedor, está preocupado com a saúde mental dos seus colaboradores?

Tente se preocupar de forma genuína como está o dia a dia na sua organização. A relação entre os integrantes da equipe é saudável? Existem chances de alguém estar passando por situações desagradáveis e que prejudicam sua saúde mental e até seu desempenho profissional?

Pois saiba que, além de estar sendo maléfico para os resultados da empresa hoje, pode estar se formando um enorme passivo trabalhista ali no futuro.

Quer implementar o compliance trabalhista na sua empresa?

Fale conosco e saiba como iniciar o programa antes que seja tarde.

Whatsapp no trabalho: como utilizar sem riscos trabalhistas